Como preparar um bom resumo para a prova de ciências da natureza?

November 27, 2019

 

 

As provas de ciências da natureza são motivo de preocupação para os estudantes, que muitas vezes não sabem a melhor forma de estudar ou de produzir resumos mais eficientes na área de conhecimento. Por isso, o professor e autor do material do Anglo, Carlinhos Marmo, elencou três dicas para auxiliar tanto na memorização de fórmulas quanto no entendimento dos fenômenos da natureza. 

 

Resumo conceitual

Nas ciências da natureza, o que ajuda muito é fazer um resumo conceitual com as próprias palavras. Segundo o professor, não vale apenas transcrever do livro para o caderno, pois desse modo, o conhecimento não está passando pela área certa do cérebro. “É preciso absorver o conhecimento e escrever o seu entendimento sobre o assunto, tão resumido quanto possível”.

Quanto mais conciso for o resumo, mais fácil será de absorver o conceito e devolvê-lo a você mesmo durante prova. “O conceito vira uma espécie de post-it dentro do cérebro. Se for muito longo, é muito mais difícil para recordar e retomar mentalmente”, completa Carlinhos.

   

Mapas mentais

Os mapas mentais são roteiros de raciocínio e facilitam a revisão e a memorização. Ao se destacar as palavras-chave, é possível entender o processo pelo qual é necessário passar para chegar a solução do problema.

O professor Carlinhos afirma que os mapas são excelentes apoios para a resolução de problemas classificáveis e dá um exemplo na área da física. “Muitos problemas de dinâmica são resolvidos seguindo-se um roteiro bastante conhecido: 

1) Marque as forças aplicadas no corpo. 

2) Obtenha a resultante das forças. 

3) Aplique a 2ª lei de Newton, utilizando a massa do corpo. 

4) Encontre a aceleração do corpo”

 

Formulários

O formulário pode ser um grande aliado dos estudos porque algumas coisas é preciso saber de cor. Um exemplo é a resistência elétrica. Se o aluno não souber a fórmula, dificilmente resolverá o problema, que às vezes não são dedutíveis. Com o formulário, pode-se memorizá-las mais facilmente.

“Memorizar conceitos depende do processo mais familiar para a pessoa. Alguns decoram mais fácil com macetes mnemônicos. Por exemplo: quando estava no cursinho, nunca esqueci que isótopos são átomos de um mesmo elemento químico que têm mesmo número de prótons por causa da letra P na palavra e isótonos, mesmo número de nêutrons, por causa da letra N”, diz Carlinhos.

Segundo o professor, outras pessoas podem memorizar melhor falando em voz alta pois tem memória auditiva. Alguns conseguem associar a questão com fenômeno que acontecem no dia a dia. Este último, é o modo mais indicado. “Eu paro para pensar: Por que densidade é massa sobre volume? se massa é uma medida da quantidade de matéria, quanto mais matéria em determinado volume, maior é a densidade. Assim é possível fixar melhor. Não com frase, nem com regrinhas, mas tentando interpretar o fenômeno”, conclui o professor de física.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter